QUANDO CHEGA A DEPRESSÃO II

A depressão é uma condição
geralmente acompanhada de
culpa.

Quem está deprimido busca
algo de errado que imagina
ter feito e que precisa
ser castigado.

Assim, o seu sofrimento é um chicote que
esbofeteia sua mente para purificá-la.

A depressão é vista como uma consequência
do afastamento de Deus, que agora mostra o
seu poder.

Se a comunhão com ele não veio por amor,
a reconciliação chega pela dor.

Para o deprimido, sua angústia demonstra
uma fraqueza moral e espiritual, que não
poderia ou deveria sentir.

Por estar enferma, a mente não percebe
que está doente e é fértil em inventar
explicações que amplificam o seu
sofrimento.

Por estar enferma, a mente não enxerga
o amor de Deus, apenas a sua justiça.

Por estar enferma, a mente se satisfaz com
respostas simplistas, que ignoram sua
pressionada história de vida, seu corpo
incapaz de regular os neurotransmissores
ou o poder dos traumas emocionais por
que passou, entre tantos fatores.

Em lugar de se refugiar numa fé opressora,
quem está deprimido precisa deixar que a
razão pesquise as causas da sua enfermidade.

A cura não vem da culpa diante de Deus, mas
do conhecimento de como funciona a mente
humana.

A cura não vem do medo de Deus, mas da
certeza do seu amor incondicional.

 

Israel B. Azevedo

_“O coração do homem é como um moinho
que trabalha sem parar. Se não há nada
para moer, corre o risco de se triturar a si
mesmo”._ (Martim Lutero)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s