A TRADIÇÃO 02


“Além das aptidões
e das qualidades herdadas,

é a tradição que faz de nós
aquilo que somos”.

(Albert Einstein)

 

A tradição é como uma casa de vidro, que muitos
têm prazer em estilhaçar, em busca de notoriedade.
Não nos pode seduzir o estrago e a fama que uma
pedra lançada contra o vidro faz soar, porque nos
deve importar se a tradição é boa ou ruim.

A tradição pode carregar a natureza pecadora do
ser humano.

A tradição pode consagrar o egoísmo, a preguiça,
a corrupção, a indiferença, o preconceito e o medo,
numa flagrante negação dos dignos valores da
solidariedade, do trabalho, da honestidade,
da compaixão, do respeito e da paz.

Nossa atitude diante da tradição depende de
nossa conclusão acerca do seu valor.

Se ela promove a vida em toda a sua amplitude,
ela está certa e devemos segui-la.
Se ela promove a morte, ela está errada e devemos
rechaçá-la.

Em todos os tempos, a tradição é
uma presença viva.

O ser humano tem dificuldades com ela e precisa
se avaliar, porque a tradição pode estar certa.
Cabe-lhe respeitá-la.

Quando a tradição oprime as comunidades,
cabe-lhes recusá-la porque está errada.

Jesus negou e combateu a tradição ruim.
Diante da tradição boa, Jesus a afirmou e renovou.

Afirmamos a tradição quando impedimos que ela
se petrifique e se perverta.
Renovamos a tradição quando sopramos mais vida
aos seus saudáveis pulmões.

Israel B.Azevedo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s