DIFERENTES, ÚNICOS, SINGULARES

Todos somos
diferentes
uns dos outros.
Somos únicos.
Somos singulares.

Somos tão singulares
que nem mesmo os
efeitos de um remédio,
tomado segundo a
recomendação médica e
observado o que diz a bula,
são os mesmos.

Somos tão singulares
que amadurecemos em modos
e ritmos diferentes uns dos outros.

As ondas revoltas do mar são, para
um, convite ao surfe e, para outro,
ordem para não por os pés na água.

As palavras firmes de uma pessoa
são afeto para um e ofensa para outro.

Um horizonte sem estrada faz um ficar
em casa e estimula outro a construir
uma estrada.
Uma dificuldade pode paralisar ou
inspirar, em função de que como
é recebida.

O que fazemos quando não nos
respeitam
em nossa singularidade?

Nós a impomos por meio da força
ou argumentamos?
Ferimos a dignidade do outro para
afirmar a nossa?

O que fazemos com a singularidade
do outro?

Nós a valorizamos?
Nós a tratamos como menos importante
do que a nossa?

Somos diferentes, únicos e singulares,

o que implica dizer que o outro, que é um
corpo diferente do nosso, que tem uma
história diferente da nossa, que pensa
diferente de nós, também é singular, e
precisa ser respeitado por nós.

Israel B.Azevedo

Ele não deveria precisar brigar,
para ser valorizado ,….
Nós não deveríamos gritar,
para sermos respeitados !!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s