A ESPERANÇA E A DESESPERANÇA

Há dias em nossas vidas que temos a impressão
de que chegamos no fim do caminho.
Olhamos para frente e não vemos nem uma saída.
Não há uma luz no fim do túnel e não há também
nem uma possibilidade de voltar.

Parece que todos os nossos projetos, objetivos
foram levados para bem distante.
Estamos sem condições de torná-los realidade,
de alcançá-los.

Parece mesmo que o outono da nossa existência
fez com que secasse as nossas esperanças, e o
vento forte do inverno veio para varrer das nossas
mãos todos os nossos sonhos acalentados.

A morte vem e arrebata os afetos de nossa alma,
deixando-nos o coração dilacerado.
Sentimo-nos perdidos, não sabemos que rumo
tomar.
Ficamos atônitos, sem nem uma ação ou reação.
Sentimo-nos como árvore ressecada, sem folhas,
sem brilho, sem vontade de viver. É a desesperança.

De repente, como acontece com a natureza,
a primavera
vem e muda toda a paisagem.

As árvores secas enchem-se de frutos verdes e logo
estão cobertas de folhas e flores.
O tom acinzentado cede lugar às cores vivas e
tonalidades mil.

É a esperança!!!

Os entes queridos que nos antecederam na viagem
de retorno à pátria espiritual, um dia estarão
novamente juntos aos nossos corações saudosos.,
num abraço de carinho e afeição.
Tudo na natureza volta a sorrir.
A relva verde fica bordada de flores, de variadas
matizes. As borboletas bailam no ar.
Os pássaros nos brindam com suas sinfonias
harmoniosas.

Tudo é vida!!!

Assim, quando a chama da esperança reascende
em nosso íntimo, os nossos sonhos, desfeitos,
são substituídos por outros anseios, outros desejos.
Nossos objetivos se modificam, e o entusiasmo
nos invade a alma.

Jesus, o sublime Galileu, falou-nos de esperança no
Sermão da Montanha, com o suave canto das
Bem-Aventuranças.
Exemplificou-nos os seus ditos e feitos. Enfim, toda
a sua mensagem é de esperança.
Por isso alimente os seus sonhos, com a esperança
de um mundo feito de pessoas como você.

Aproveite, viva a vida com intensidade, respeitando
o espaço de cada uma das pessoas que se fazem
presentes na face da Terra.
Se a desesperança se cercar de nós, vamos lembrar
de Jesus Cristo   “Meu fardo é leve e meu julgo é suave”.
(Mateus 11:30).

Pois bem, se o fardo é leve, por que não o conduzimos
e se o seu julgo é suave, por que não o aceitamos?
Vamos levar a vida adiante, acreditando, especialmente,
Em Deus que nos da a vida.

Saibamos aproveitar com sabedoria qualquer
momento que
a nós é oferecido, momento como
esse que estamos vivendo,

para dizer quem sabe um… eu te amo!

Autor: Donetzka Cercck

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos,
e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim,
que sou manso e humilde de coração; e encontrareis
descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.

Mateus 11:28-30

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s