A FONTE DA CONFIANÇA I

“Nem que seja para fazer alfinetes,
o entusiasmo é indispensável para
sermos bons no nosso ofício”.
(Denis Diderot)

 

 

O cirurgião pode assestar o bisturi
para o órgão a extirpar, confiante
que procederá corretamente
e devolverá com certeza a saúde ao
corpo sobre o qual intervém.

Antes, pode pedir a Deus que dirija a sua mão.
A escritora pode se assentar diante da página
em branco e, cheia de ideias, colorir o espaço
com pontos que formam um mosaico de útil
informação e estimuladora beleza.

Antes, pode pedir a Deus que lhe dê
a necessária inspiração.
O engenheiro pode se servir dos avanços
da tecnologia para criar um artefato,
conduzir um processo ou concluir uma obra.

Antes, pode pedir a Deus que o ajude a coordenar
os elementos que levantam e mantém firme
a sua construção. A vendedora pode juntar seu
conhecimento do produto e do consumidor à sua perícia
na arte de encantar para fazer o negócio.

Antes, pode pedir a Deus que sobre o ofício ponha
clara e correta compreensão.
Todos os profissionais podem agir por sua própria
conta apenas, estribados nos conhecimentos
desenvolvidos em sua corporação ou podem reconhecer
sua limitação e pedir a Deus para inspirar,
consertar, sedimentar e ampliar a sua produção.

Se vão confiar apenas em si mesmos
ou se vão se apresentar
como cooperadores de Deus é escolha
que espera por sua decisão.
(CONTINUA)

Israel B. Azevedo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s