SEGUNDO A VONTADE DE DEUS

 

“Deus ama a cada um de nós como
se houvesse apenas um de nós”.
(Agostinho)

 

 

Quando se aproximava a sua morte,
Jesus pediu que Deus o Pai o livrasse dela,
mas subordinou o seu desejo à vontade dele.
A vontade de Deus é um mistério.
Sabemos que ela é boa, perfeita e agradável (Romanos 12.2),
da perspectiva de Deus, não necessariamente da nossa.

Assim, se pretendemos fazer uma viagem,
devemos pedir ao Senhor Deus que nos ajude a realizá-la (Tiago 4.13),
do projeto à conclusão, se for da vontade dele.

Se almejamos completar um negócio e, certos que é bom para nós,
pedimos a Deus que o confirme (Salmo 90.17),
devemos submeter o assunto à vontade dele.

Se sonhamos passar num concurso, que nos dará o que precisamos,
e pedimos a Deus que ilumine a nossa mente (Filipenses 3.15),
devemos aguardar que se manifeste à vontade dele.

Se enfrentamos uma doença, simples ou humanamente incurável,
em nossas células ou no corpo de uma pessoa muito querida,
devemos pedir a Deus que intervenha e cure (II Coríntios 12.7),
se for da vontade dele.

Por mais essencial que seja o nosso desejo,
devemos nos render à vontade daquele que tudo pode,
tudo sabe e nos ama, quando faz o que pedimos
e quando não faz o que esperamos.

Orar é pedir.
Pedir não é impor.
Querer não é exigir.
Graça não é mérito, mas favor.
Não importa para onde for,
Vale a pena ir
Se for da vontade de Deus.
É assim que aos céus
Nossa prece deve subir.

Vale a pena ter
Dinheiro, saúde ou coisa qualquer,
Se de Deus realmente vier.
Orar é falar
E aguardar
Deus fazer o que perfeitamente quiser.
Também na arte de rogar,
A Jesus devemos seguir.

Israel B. Azevedo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s