AOS 33 ANOS…

“Aos 33 anos, Jesus foi condenado à morte.
A “pior” morte da época.
Somente os piores criminosos morreram como Jesus.
E com Jesus ainda foi pior, porque nem todos
os criminosos condenados aqueles castigos receberam
pregos em suas mãos e pés.

Sim, foram pregos… e dos grandes!
Cada um tinha de 15 a 20 cm, com uma ponta de 6 cm.
A outra extremidade era pontiaguda.
Eles eram pregados nos pulsos, e não nas mãos,
como se diz.

No pulso, há um tendão que vai até o ombro,
e quando os pregos foram martelados, esse tendão
se rompeu, obrigando Jesus a forçar todos os músculos
de suas costas, por ter seus pulsos pregados,
para poder respirar porque perdia todo o ar de seus pulmões.

Desta forma era obrigado a apoiar-se no prego colocado
em seus pés que eram maiores ainda que o de suas mãos,
porque pregavam os dois pés juntos.
E como seus pés não aguentariam por muito tempo sem
rasgarem-se também, Jesus era obrigado a alternar
esse “ciclo” simplesmente para poder respirar.

Jesus aguentou essa situação por pouco mais de 3 horas.
Sim, mais de 3 horas! Muito tempo, não é verdade?
Alguns minutos antes de morrer, Jesus já não sangrava mais.
Simplesmente saía água de seus cortes e feridas.

Quando o imaginamos ferido, imaginamos meras feridas,
mas não; as Dele eram verdadeiros buracos, buracos feitos em seu corpo.
Ele não tinha mais sangue para sangrar, portanto, dele saía água.
O corpo humano está composto de aproximadamente
3,5 litros de sangue (em um adulto).

Jesus derramou 3,5 litros de sangue;
teve três pregos enormes cravados em seus membros;
uma coroa de espinhos em sua cabeça e, além disso, um soldado
romano cravou uma lança em seu tórax.

Tudo isso sem mencionar a humilhação que passou depois de ter
carregado sua própria cruz por quase dois quilômetros,
enquanto a multidão cuspia em seu rosto e lhe atirava pedras
(a cruz pesava cerca de 30 quilos, somente na parte superior,
naquela em que pregaram suas mãos).

Tudo isto aconteceu em cumprimento à promessa messiânica
Salmos 22:14 ao 18)

Sendo colocado ao lado de dois ladrões/malfeitores
fica evidente aos olhos daqueles que ali se encontravam,
aos pés da cruz, a sua condição de vergonha e degradação,
principalmente por que, por ironia, ainda lhe cravaram na cabeça
uma coroa de espinhos, e uma inscrição de que era “o Rei dos Judeus”.

Ali aos pés da cruz identificamos algumas pessoas
com três tipos de atitudes:

1- grupo de pessoas: cercado de apatia e indiferença.

Era formado pelos soldados que estavam em mais uma missão
a serviço do império romano; ali eles tiravam sorte para saber
quem seria contemplado por aquele lindo manto.
Esse grupo tipifica os que vivem como se Cristo
nunca tivesse existido.

2- grupo de pessoas: movido pela simpatia
e solidariedade.

Era formado pelas mulheres que acompanhavam Jesus.
Este grupo tipifica os que são – verdadeiramente –
fiéis seguidores de Cristo, e se posicionam
junto a Ele em qualquer situação.

3- grupo de pessoas: impelido por antipatia
e oposição.

Era formado pelos líderes religiosos e anônimos
que se aproximavam de Jesus para zombar e Dele tripudiar.
Este grupo tipifica os que fazem oposição sistemática
a Deus, Sua Palavra e Seus princípios.

A morte de Jesus Cristo na Cruz é descrita como:

1) EXPIAÇÃO:

a palavra “expiar” no hebraico tem o sentido de “cobrir”.
Expiar o pecado é, então, cobri-lo da vista de Deus,
de tal forma que não mais lhe provoque a justa ira.
Na expiação o pecado é apagado, removido,
lançado do fundo do mar, e perdoado.
A morte de Cristo é expiatória, pois nos remove
os pecados (I Pedro 2.24; e II Coríntios 5.21).

2) PROPICIAÇÃO:

Propiciar é aplacar a justa ira de Deus mediante
a oferta de uma dádiva. Em Sua misericórdia, Deus aceita
a dádiva e restaura o pecador. Cristo é descrito como
uma propiciação (I João 22; Romanos 3.25).
O acesso a Deus foi comprado por Cristo,
mediante Sua morte de cruz.
Em nome Jesus Cristo podemos nos aproximar do Pai.

3) SUBSTITUIÇÃO:

Os sacrifícios no antigo testamento visavam substituir
o ofertante: representavam o pecador diante do altar,
pagavam o que o homem do antigo pacto não podia pagar.
Da mesma forma, Cristo ao morrer na cruz, o fez em nosso lugar.
Romanos 5.6: “Porque Cristo, quando éramos ainda fracos,
morreu a seu tempo pelos ímpios”.

4) REDENÇÃO:

Redenção é o livramento de algum mal ou servidão mediante
o pagamento de um preço ou resgate. O preço é o sangue
de Jesus derramado na cruz (Efésios 1.7).
Redimir significa comprar de volta mediante o pagamento
de um preço; soltar da escravidão pagando o devido preço.
A obra de Jesus é descrita assim como redenção ou resgate
(Mateus 20.28; Apocalipse 5.9; Gálatas 3.13; I Pedro 1.18,19)

5) RECONCILIAÇÃO:

A obra de Cristo é de reconciliação na remoção da inimizade,
transpondo uma desavença de tal maneira que se restaure
um relacionamento bom e correto. Cristo morreu na cruz
para afastar o pecado e desse modo abrir caminho
para a verdadeira reconciliação entre o homem e Deus.

Assim, algo extraordinário acontece quando Cristo expira na Cruz,
– SUA MORTE cobre a multidão dos pecados (morte expiatória);
– SUA MORTE produz propiciação (representa a dádiva concedida por Deus).
– SUA MORTE constitui sacrifício vicário (morte substitutiva),
pois Ele morre em nosso lugar.
– SUA MORTE produz redenção (livramento por resgate).
– SUA MORTE gerou reconciliação (o homem pecador tornara-se
inimigo de Deus, mas por Jesus, se reconcilia com Deus).

Enfim,
– SUA MORTE traz VIDA aos que Nele creem!

Jesus passou tudo isso, só para que tu tenhas um livre acesso a Deus.
Para que tenhas todos teus pecados “lavados”. Todos eles, sem exceção!
Não creias que Ele somente morreu por outros, por aqueles que vão
a igreja ou por aqueles monges, padres, pastores, bispos, etc.
Ele morreu por você…

Aceita a realidade, a verdade de que
JESUS É A ÚNICA SALVAÇÃO PARA O MUNDO.
Deus tem planos para você, Ele passou,
unicamente para te dar a Salvação.
Pense nisto!

Ame a Deus.
Ele é a fonte da nossa existência e o único Senhor e Salvador.
Ele nos mantém vivos e funcionando de dia e de noite.

Sem Ele, nada somos, mas com Ele “tudo podemos em Cristo
que me fortalece”. Filipenses 4:13.

Não se envergonhe de Jesus Cristo o unigênito de Deus,
tenha Ele como seu único Senhor e Salvador,
porque Ele não se envergonhou de você quando
naquela cruz deu a sua vida pela sua vida

Deus abençoe tua vida!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s