GERANDO A VONTADE DE DEUS, POR MEIO DA ORAÇÃO.

mikhej-687x400Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra.
E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto.
Tiago 5:17,18

Tiago afirma que Elias orou para não chover, e o fez de uma maneira fervorosa. Houve três anos e meio de seca, o que trouxe muita escassez na terra. Depois orou para que chovesse. Não parece estranho isso? Orar para não chover! Depois orar para chover!

Vamos entender o que acontecia naquele tempo.

A nação de Israel era governada pelo rei Acabe, um rei que fazia o que era mau aos olhos do Senhor.
Este rei casou-se com Jezabel, mulher de origem cananita, que influenciou perversamente todo o reino de Israel, (I Reis 16.30-33).

O rei permitia que a esposa, de fato, governasse; e por influência dela, foi instituído o culto a Baal.

A rainha Jezabel abrigava no palácio 450 profetas de Baal e 400 profetas de Aserá.
Baal, no hebraico, significa senhor, dono.
Acreditava-se que esse ídolo controlava a chuva, a fertilidade e a vegetação.
Algumas vezes também era conhecido como deus do fogo.

E por causa dessa aliança feita entre os cananeus e os Israelitas, o povo se afastou de Deus e se voltou para a idolatria.
O engano fez o povo de Israel coxear entre dois senhores.
Deus Jeová não mais reinava absoluto na vida do seu povo.

Nós sabemos como a idolatria é terrível e conhecemos as graves consequências que ela traz na vida das pessoas e da nação.

E para mostrar ao seu povo que Baal (o ídolo dos Cananeus) não era nada, não podia controlar a chuva nem a vegetação.
O Todo-Poderoso, o Deus de Israel lidou com a nação de Israel trazendo uma longa estiagem.

terra-seca Andavam por aquelas terras, sobreviventes, animais magros, crianças que choravam o leite que suas mães não tinham mais para as alimentar.
Os poços estavam já quase que totalmente secos, caminhava-se bastante por um cântaro de água.
Muitos não resistiram à fome e a escassez, milhares faleceram.
Terra árida, seca, nada crescia.

Pois é assim, o pecado tem suas amargas consequências, e a tudo secava e consumia.
Podia-se ouvir um lamento em Israel, um pedido, um clamor pelo antigo refrigério que descia do céu, no passado.
O povo constantemente olhava para o céu em busca de um sinal de esperança, e se perguntavam, será que é hoje? Será que ela vem?

Chuva era sinal de benção, de prosperidade, mas a idolatria levou o povo de Deus à ruína e a miséria.

Deus tinha uma vontade declarada.

Elias foi o instrumento do Eterno para que a vontade dele fosse “gerada”, primeiramente orando pela seca e depois orando pela chuva. Elias fez isso por meio da oração.

A Bíblia mostra o processo da manifestação do poder do Senhor quando Elias orou para chover.

O Altíssimo disse a Elias: vou mandar chuva, (I Reis 18.1).

Qual foi a reação de Elias após desafiar os profetas de Baal? Por acaso foi para casa, sentou-se no sofá e esperou Deus mandar a chuva? Afinal, ele não havia dito que mandaria?
pequena-nuvem-mtcarmelo A reação de Elias foi subir ao monte Carmelo e orar para que a chuva viesse.

O profeta precisava “gerar” aquela chuva no mundo espiritual.
Deus queria, já havia dito que mandaria a chuva, mas ela teve de ser gerada.

Isto mostra o poder da oração.

Nós cooperamos com o Senhor para que sua vontade seja estabelecida na terra.

E a “geração” não foi nada fácil.

Elias orou sete vezes e o céu não tinha nenhuma aparência de chuva, nenhuma nuvem. Até que na sétima vez, o ajudante de Elias disse que viu uma pequena nuvem, do tamanho da mão de um homem.

Foi o suficiente!

O homem de Deus disse: a chuva vem. E pouco depois, os céus se enegreceram e a chuva caiu.

Parece que a igreja e os crentes modernos de hoje só se movem com terremotos de poder e maravilhas fantásticas.

Muitos correm atrás de grandes números, de estádios cheios, de ministérios milionários.

Perdemos a habilidade de ver Deus nas pequenas coisas e como consequência raramente o vemos.

E pior ainda, concluimos que ELE está ausente.

Precisamos urgentemente de renovar nossa fé.

Esta fé de rosto no pó, de um quebrantamento de alma e espirito.
De somente se curvar diante do único Deus criador e soberano;
Sabendo que somente Ele pode mover os céus e a terra, fazendo que o impossível aconteça.

A fé que consegue enxergar uma tempestade vendo apenas uma nuvem do tamanho da mão de um homem e saber que ali está a resposta da oração de três anos!

Não estou falando de crendice fácil ou de fé barata ou ainda de satisfação com insignificâncias.

Estou pensando na habilidade demonstrada por muitos servos do Senhor Deus e do Mestre Jesus Cristo de ver aquilo que os olhos humanos nãchuvas-de-bencaoo entendem.

De ver além do mero raciocínio lógico.

De crer nas pequenas demonstrações da ação de Deus.

Se há algo que a Bíblia nos ensina é a não menosprezar a ação de Deus.
Nosso Deus gosta de usar as coisas pequenas deste mundo para confundir as grandes! ” (Mateus 11:25)

Jesus foi o Mestre das nuvens pequenas.

Ele valorizou a oferta minúscula da viúva pobre, recebeu crianças pequenas sem valor, gastou tempo com a mulher samaritana (levaria ao ganho de toda a aldeia para o reino), viu Zaqueu escondido na árvore.

Jesus não desprezava as nuvens pequenas porque sabia ver nelas a chuva da abundante graça de Deus.

Se você se sente pequeno, achando que por ser falho, Deus não vai te ouvir ou atender.

Não penses assim, se encoraje mediante está palavra, de que Jesus não te vê desta maneira, que para ele você tem potencial, e que Ele vai responder a sua oração, quando ajoelhar-se diante Dele, e orando de todo o coração.

Quer ver o melhor, de Deus?

Então venha comigo ver pela fé, o que Deus vai fazer na minha e na sua vida.

Vamos juntos olhar o céu e mesmo quando só pudermos ver uma nuvenzinha do tamanho da mão de um homem saberemos que é sinal de chuva grossa.

Vamos aprender a avaliar como o Senhor Jesus, ver o poder de Deus nas pequenas coisas e não só nas grandes.

Venha comigo fazer parte deste caminho de vitórias

É um caminho estreito, mas abençoado.

Pouco percorrido, mas feliz.

De pouca divulgação, mas de muita glória.

É o caminho daqueles que crescem na capacidade de ver com os olhos da fé.

Pela misericórdia do Deus que sejamos despertados para essa caminhada.

Para trabalhar por meio da oração, geremos no mundo espiritual as condições necessárias para que a vontade do Pai se estabeleça, nas nossas vidas, nas pessoas ao nosso redor, no mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s