MEMÓRIA DAS BENÇÃOS DO SENHOR!

Livro de Deuteronômio 8:1 ao 20

bencaos1

Neste capítulo, Moisés tratou de orientar o povo quanto à tentação futura de Israel de querer se tornar orgulhoso e depender apenas de si mesmo.

Ele está lembrando aos seus ouvintes – os da segunda geração – das provas às quais a nação havia sido submetida no deserto, sendo que as dificuldades enfrentadas no deserto haviam servido para lhes mostrar que a nação somente poderia ter sido bem-sucedida pela misericórdia de Deus.

Ah se não fosse a misericórdia de Deus quanto ao povo de Israel no deserto, já de há muito teriam todos sucumbido.
Moisés lhes fala logo no início sobre os mandamentos.

O segredo deles e da força deles estaria em guardar esses mandamentos para cumprir e assim viver, multiplicar, entrar e possuir a terra.

Possuir uma terra que o Senhor jurou a seus pais dar a eles.

Era como se alguém com grande poder, força e riquezas dissesse para outra pessoa: eu sou o dono de tudo e quero te dar a ti esta terra. No entanto, quero que guarde meus mandamentos para os cumprir.
Agora vá, se multiplique e viva, entre e tome posse do que estou te dando.

O Senhor, de fato, é o dono de tudo e de todas as coisas e Ele é também o juiz e o autor da vida.
Nós somente estamos aqui porque ele quis e nos sustenta até o dia que ele entender que basta.

Deus de fato os humilhou para saber o que estava no coração deles, mas não para o conhecimento de Deus, antes para que o coração deles ficasse exposto diante deles mesmos.

Deus sempre sabe o que irá fazer e como irá fazê-lo, mas nos prova não para conhecer nossa reação, mas para que nós conheçamos a nossa própria reação e assim possamos ser curados.
Os problemas acabam servindo para revelarem o que anda passando em nossos corações e mentes, mas não para Deus nos conhecer, pois ele não precisa de nos conhecer porque já nos conhece;

Mas para que nós vejamos o que há dentro de nós e aos termos expostas as nossas fragilidades, possamos tomar conhecimento de que somente Deus pode nos ajudar.

Com relação à prosperidade, o texto é claro ao afirmar que ela vem do Senhor tanto como dádiva a quem ele quer dar de forma totalmente gratuita, sem nada fazerem:

Ou as dadivas podem vir das mãos de Deus como que de forma totalmente laboriosa, mediante grande esforço, trabalho e dedicação.

No entanto, em ambos os casos, de Deus é que vem a prosperidade.

Porque mesmo que trabalhemos muito, a força para o trabalho vem dele, de Deus.

Se ele nos dá, não pensemos que é somente para nossos usufruto e esbanjamento, antes para uma boa administração, pois de tudo pedirá Deus contas no dia do acerto de contas com cada pessoa.

As bênçãos eram grandes para o povo de Israel, mas tinha uma condição:
Se eles ouvissem e guardassem os mandamentos para os cumprir.

Estas bênçãos também foram dispensadas a nós mediante a graça dos nosso Senhor e salvador Jesus Cristo, em nossos dias.

Porém o condicionamento é o mesmo, ouvirmos a sua Palavra de Deus e obedecermos.

Porque assim como para o povo de Israel, também para nós a mensagem é a mesma, que a obediência gera as bênçãos prometidas porém a desobediência traz o castigo causando a própria destruição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s